Cordéis cepecistas de Ferreira Gullar

No início dos anos 1960, marcando sua adesão à militância partidária do comunismo, Ferreira Gullar publicou alguns cordéis pelo Centro Popular de Cultura (CPC), do qual chegou a ser presidente.[1]

O CPC foi um grupo que, apesar de autônomo, era inerente à ideologia do Partido Comunista Brasileiro. Essas publicações não são apenas uma reviravolta na produção que o poeta maranhense vinha realizando até então. São também uma forma de tocar em uma das questões menos resolvidas e mais discutidas ao longo do ciclo do nosso modernismo literário: a relação entre a arte e sua recepção por parte do público.

Continuar lendo “Cordéis cepecistas de Ferreira Gullar”

Anúncios